O preconceito e a saúde dos idosos. Casos como esses não são novidades

old-people-616718_1280

“Assim como com o sexismo e o racismo, é possível mudar as normas sociais, e já é hora de parar de identificar as pessoas com base em sua idade, e isso vai resultar em sociedades mais prósperas, mais justas e com melhor saúde.” A frase foi do encarregado de problemas relacionados aos idosos da OMS (Organização Mundial de Saúde), John Beard, durante conferência em Genebra, no ano passado.

O alerta foi feito com base em pesquisa da entidade segundo a qual 60% da população mundial considera que idosos são desrespeitados. O estudo revelou que países onde pessoas acima dos 60 anos mais têm seus direitos violados possuem rendas elevadas. Partindo desse princípio, seria surpreendente a condenação do Banco do Brasil, em Penápolis, a pagar R$ 6 mil de indenização por danos morais e discriminação a uma professora aposentada de 82 anos. De acordo com a denúncia, a cliente tentou renegociar empréstimo para ser diluído em mais vezes, mas a instituição negou por ela ter a “idade avançada”.

Ocorre que casos como esses não são novidades e os precedentes para indenizações já existem. Em decisão semelhante, no ano passado, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) condenou um banco a indenizar um idoso que teve pedido de empréstimo negado devido à idade. O montante, naquele episódio, ficou estipulado em R$ 30 mil, por danos morais.

Pelo menos no Brasil, a chamada “terceira idade” tem um instrumento valioso a seu lado no combate ao preconceito, que é o Estatuto do Idoso. A lei, que está em vigor desde 2004, diz, logo em seu artigo quarto: “Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei”.  O texto é complementado com a garantia de que é “dever de todos prevenir a ameaça ou violação aos direitos do idoso”.

O desrespeito, não apenas em uma agência bancária, acarreta uma série de efeitos negativos à saúde de um senhor ou uma senhora desrespeitada. De acordo com a própria OMS, atitudes negativas em relação às pessoas de idade trazem consequências significativas sobre a saúde mental e física deles. Conforme o estudo, idosos que se sentem como um fardo para os outros estão sujeitos a sofrer depressão e isolamento.

Considerando-se estatísticas que apontam para o crescimento da população idosa e da expectativa de vida, fica a mensagem para que as pessoas aprimorem, cada vez mais, o exercício da tolerância e do respeito com aqueles que são da “melhor idade”.

Fonte: http://www.folhadaregiao.com.br/araçatuba/o-preconceito-e-a-saúde-dos-idososs-1.352876
31/7/17

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s